sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Flores dos catos: as verdadeiras e as espetadas


Quando hoje estava a observar atentamente as pequenas flores de um cato que tenho, lembrei-me da história, quase embaraçosa, mas que resolvi partilhar, até para servir de aviso, pois se eu tivesse sabido antecipadamente do truque não teria comido o engodo. 
Então não é que aqueles pequenos catos floridos que se vendem nas grandes superfícies, nada mais são que flores espetadas?

Cato com flores espetadas (2010)
Acho que nunca mais esquecerei tal descoberta. Não posso dizer que  foi como descobrir que o Pai-Natal não existe porque felizmente os meus pais nunca me contaram essa mentira! mas para mim foi grave essa descoberta. Não foi pelo dinheiro que gastei, que nem foi tanto como isso, mas foi por um lado sentir-me totalmente enganado, e por outro, o  embaraço de ter demorado tempo demais a descobrir, pois as flores dos catos, como todas as outras flores em geral, não permanecem meses sempre iguais sem secar!

Isto aconteceu porque há uns anos, vi um arranjo de catos numa grande superfície e resolvi comprar para oferecer à minha mãe. O pior foi quando descobri que todas aquelas flores eram falsas. Fiquei pior que estragado! E o mais curioso foi que, a minha mãe, mulher com a experiência que os anos de vida lhe deram, também ficou espantadíssima que aquilo fossem flores espetadas!

Senti-me revoltado e totalmente enganado. No fundo é publicidade enganosa, é chamar a atenção do consumidor a algo falso para o impelir a comprar. E a paranóia é tanta que agora tenho encontrado até plantas à venda que estão pintadas?! É caso para dizer que a maquilhagem chegou às plantas!

Mas refletindo um pouco, isto já nem é de agora, basta ler um pouco sobre a história dos corantes, e em como o homem muda artificialmente a cor a tudo, introduzindo até químicos nos alimentos que come, e  pondo inclusive a sua saúde em risco, só para conseguir vender melhor determinado alimento.

No entanto é muito interessante ver a evolução das coisas - as datas nas fotografias dão sempre imenso jeito não dão? - e três anos depois podemos ver como são as verdadeiras flores do mesmo cato, e ver como uma coisa não tem absolutamente nada a ver com a outra:

Cato florido...


...naturalmente! (2012)

4 comentários:

  1. Hihi! Pois vender gato por lebre (quase que me enganava e escrevia 'comer gato por lebre') não é raro não! :D

    ResponderEliminar
  2. Andei a remexer nas muitas fotografias que tenho, até porque irei usar algumas em artigos posteriores no blog e encontrei o dito cujo cato com flores espetadas (e ainda não encontrei o que procurava!)
    Quando agora olho para a foto do cato com flores espetadas pergunto-me como pude ter sido tão ingénuo, mas lá está, é a ilusão, vemos algo à venda e nem imaginamos que podemos estar a ser enganados. Mas pronto...no fim de constas até deu um cato com bonitas flores...naturais!

    ResponderEliminar
  3. Essa de pensares que as flores dos catos eram verdadeiras fica para a História! É que quanto mais não fosse, devias ter percebido que, ao fim de anos, elas continuavam iguais, nem um milimetro a mais! Nem uma pétala a menos! eheheheh

    ResponderEliminar
  4. Hei que exagero! Também não demorei "anos" a descobrir! Até porque os catos foram oferecidos à minha mãe, ela é que cuidava deles. Contudo em minha defesa, tenho a dizer que descobri antes dela, que também ficou muito surpreendida pela descoberta!
    E eu quase que aposto que há por aí muitas mais pessoas que não sabem ;)

    ResponderEliminar