quarta-feira, 31 de maio de 2017

Metrosidero: da Morte ao Paraíso

Quem vai acompanhando o blogue lembrar-se-à por certo do metrosidero que eu trouxe do lixo. Estava completamente seco junto a um ecoponto mesmo a dois passos do Hospital Santo António na cidade do Porto. E o tempo voa, e já fará em Julho dois anos que o meti na mala do carro, e trouxe para casa na esperança que se salvasse.




Se no primeiro ano, como se pode ver nas fotografias já cresceu imenso e ganhou muitos novos rebentos, nesta segunda Primavera eis que agora decidiu presentear-me com as suas flores vermelhas! Muito devagarinho a desenrolar as suas inflorescências:





Às vezes há árvores que parecem mortas, abandonadas à sua sorte junto ao lixo, mas na verdade só precisavam mesmo que alguém reparasse nelas e lhes dessem uma oportunidade...


2 comentários:

  1. És um autêntico Rei Midas dos tempos modernos. Não transformas as coisas em ouro, mas consegues fazer com que tudo o que te rodeia floresça.
    Claro que isso também se aplica a umas simples plantas...

    Boa noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá boa noite,
      Obrigado pelo simpático comentário, mas acredita que também não é tanto assim como dizes ;)

      Eliminar