sábado, 1 de março de 2014

Relvado - A importância da escarificação

Grande parte das pessoas que trata dos seus relvados, limita-se a pegar no corta-relva e a ceifar a relva o mais rente possível e a regá-los no verão. Mas existem outras tarefas muito importantes e que não devem ser menosprezadas, como é o caso da escarificação. 

Depois do muito trabalho que tive na plantação da gramínea, também conhecida por grama ou graminha (Stenotaphrum secundatum), tenho agora finalmente, as duas áreas da frente da frente da casa, uniformemente cobertas de relva. No fim-de-semana passado, aproveitei o sol que fez por aqui, e o relvado estava seco (não é nada aconselhável cortar o relvado quando este está molhado) e procedi ao primeiro corte, depois de vários meses sem que a relva tenha sido cortada. 

No primeiro ano que plantamos a relva, e estou a falar da espécie que tenho (Stenotaphrum secundatum), esta vai-se distender pelo terreno e passados uns quatro meses temos um relvado verdinho. Mas como é lógico, a relva vai continuar a crescer, e todas aquelas guias crescerão para todas as direções e vão continuar a crescer inclusive por cima umas das outras. Com o passar do tempo, teremos uma altura imensa de guias sobrepostas, e ao ser pisada mais parece que estamos a caminhar sobre uma esponja grossa.

A gramínea ao crescer por cima da relva já existente, irá asfixiar as camadas de relva inferior, fazendo com que as folhas apodreçam e fique uma camada densa de palha. E o que a escarificação irá fazer é precisamente remover esta camada de palha acumulada. Tem  a vantagem de arejar, e até de mondar o excesso de guias que se acumula, permitindo também que a água e adubos cheguem mais facilmente às raízes. A escarificação também útil para remover musgos que por vezes se formam, devido à sombra, falta de adubação ou solos demasiado compactos por exemplo. 

A escarificação pode ser feita com um vulgar ancinho, mas existem ferramentas mais apropriadas para o efeito, tanto manuais, como elétricas ou a gasolina. Na viagem a Tomar em outubro passado, aproveitei e comprei um escarificador manual usado que tinha visto na net, num negócio que fiz em mãos com um casal simpático de Coimbra. Estava como novo e comprei por um bom preço. Este escarificador manual novo custaria cerca de 70€.

Lâminas do escarificador manual

Este escarificador é composto por duas peças, um cabo, em que podem ser adaptadas muitas outras ferramentas compatíveis da mesma marca, e pelo escarificador propriamente dito, que como se vê na imagem é uma espécie de ancinho com rodas, mas que tem umas lâminas afiadas em aço, que vão então arrancar a tal palha acumulada e destroçar grandes acumulações das guias da gramínea, e remover também possíveis musgos que possam existir. 

O escarificador manual com rodas é bem mais prático e eficaz que o ancinho, mas também se torna uma tarefa cansativa, tanto mais quanto maior for a zona a trabalhar. Daí que eu opte sempre por ir trabalhando faseadamente. Há que ter em conta que a escarificação faz-se uma ou duas vezes por ano, logo, a pessoa deve ponderar o custo/benefício, de investir muito dinheiro numa ferramenta cara, que pode usar-se uma só vez no ano. Mas já existem escarificadores elétricos a preços bastante acessíveis, e terão a vantagem de, por um lado serem mais rápidos a efetuar a tarefa, e por outro aliviar as costas do jardineiro! O escarificador manual tem a vantagem de poder ser usado em sítios mais pequenos e de difícil acesso, pelas maiores dimensões da máquina elétrica ou a gasolina. 

Para se ter noção, num pequeno espaço de poucos metros quadrados, consegui remover mais de 30L de palha e excesso de relva como se pode ver na imagem. 


A escarificação para um relvado de semente, é aconselhada preferencialmente na primavera antes do início dos cortes, e/ou no outono depois do último corte. No meu relvado eu passo o escarificador sempre que vejo que uma certa área está a precisar.

P.S: Tenho desta relva Santo Agostinho para venda, em caso de interesse contacte por e-mail ou deixe comentário. 


1 comentário:

  1. Obrigada pela dica! O relvado desta casa tem décadas de camadas!

    ResponderEliminar